N.W.A: a banda mais turbulenta do RAP numa viajem pelo tempo no segmento “No Fundo do Bau”

"No Fundo do Bau"

Percursores do famigerado Gangsta RAP, os N.W.A sao a banda da vez a marcar presenca no nostalgico segmento “No Fundo do Bau” do Feedback. Em mais uma incursao por um distante passado, o blog recordai viaja para as “streets” norte-americanas dos anos 80 para ir de encontro com esta que e para muitos a mais iconica banda da historia do RAP. Com letras carregadas de lirismo recomendado a maiores de 18 anos, a banda do falecido Eazy E, ICE Cube, Dr. Dre, MC Ren e Yella viria a marcar epoca durante a sua problematica existencia dividida entre alguns dos maiores classicos deste estilo e muitas historias de conflitos internos que acabariam por culminar no seu termino na metade da decada de 90. Aclamados pelas ruas com trabalhos de peso como “Straight Outta Compton” (1988) e “Niggaz 4 Life” (1990) e por hinos como “Fuck tha Police”, este colectivo viria a findar apos a saida de Dr. Dre e Ice Cube. Envolto em muitas polemicas, dezenas de processos judiciais, umas tantas ameacas de morte, alguns sequestros pelo meio e muito “Sex, drugs and RAP” que se traduziriam em 2016 no aclamado filme “Straight Outta Compton”, a banda mais conturbada (e talentosa) do RAP chega assim ao Feedback numa viajem especial pelo tempo no sempre nostálgico “No Fundo do Bau”.

“No Fundo do Bau” com o RAP sem papas na lingua dos N.W.A

Fogo Fogo, a banda “bem di fora”, de volta ao blog sem acento(s)

"Feedback News"

Com um repertorio marcado por musicas “di terra” que tem conquistado as rodas de danca pela Lusitania fora, os portugueses Fogo Fogo voltam a marcar presenca na passerelle alternativa do Feedback desta vez com uma reinterpetacao de um dos classicos do Funana: falamos de “M’Bem di Fora” dos Bulimundo. Um entre os muitos “hits” desta historica formacao dos anos 80 liderada por Katchas e Zeca Nha Reinalda que deixou o seu inegavel contributo a musica (e historia) de Cabo Verde, os Bulimundo continuam a inspirar musicos de longitudes e latitudes sonoras distantes, como e o caso dos portugueses Fogo Fogo. Em mais uma aparicao pelo Feedback, a banda lisboeta mais criola de Lisboa de onde milita o “fidje d’terra” Danilo Lopes volta assim a mostrar os seus atributos quando o assunto se trata de reinterpretar classicos da musica “berdiana” que tambem tem lugar cativo e fas confessos pelas achadas, ruberas e cutelos da distante “terra longi”.

Os sons de Cabo Verde de norte a sul lusitano com os Fogo Fogo

Os sons do novo Mali com os Songhoy Blues no “Live Music”

"Live Music"

Prestes a lancar no proximo dia 16 de Junho seu segundo album de originais, os malianos Songhoy Blues fecham mais uma semana de posts no Feedback com uma passagem desta vez pelo segmento “Live Music”. Formados em 2012 na capital Bamako e tendo como inspiracao os muitos problemas que afligem este enigmatico pais africano marcado por guerras na ultima decada, os Songhoy Blues trazem as historias do povo do Mali e a esperanca de dias melhores no continente negro. Aclamados pela critica pelo Mundo fora com o lancamento em 2015 de “Music in Exile” que nao apanhou de surpresa os mais desprevenidos, este quarteto maliano viria posteriormente a fazer fama com actuacoes de peso um pouco por todo o Velho Mundo e Estados Unidos. Com uma fusao de ritmos africanos que se confluem por bem sucedidas incursoes pelo Rock, Pop e o Blues, os Songhoy Blues regressam ao Feedback e deixam o convite a si, ilustre e sele(c)to visitante, a ficar atento ao seu proximo trabalho – de nome “Resistance” – a ser lancado dentro de poucos dias.

Songhoy Blues do Mali para o “Live Music”

 

Cachupa Psicadelica e Scuru Fitchadu, ou vice versa, dia 1 e 2 de Junho no MIL em Portugal

"Feedback News"

Vitrine da nova musica popular moderna lusitana, a edicao 2017 do MIL (Lisbon International Music Network) ira receber de 1 a 2 de Junho alguns dos maiores nomes da musica alternativa portuguesa como Benjamin, Capitao Fausto, Paus e tambem para nosso contentamento dois representantes da tambem musica criola moderna da Diaspora: falamos dos nossos “compas” Lulas (Cachupa Psicadelica) e Marcus Veiga (Scuru Fitchadu). Assiduas presencas no blog sem acentos, Lulas e Marcus Veiga voltam a bater ponto no Feedback com a boa nova da participacao destes dois artistas “di terra” e seus projectos no MIL. Com dois trabalhos no mercado que tem recebido criticas positivas da imprensa alternativa especializada – falamos dos albuns “O Ultimo Cabo-verdiano Triste” e “Scuru Fitchadu” respectivamente – Lulas e Marcus Veiga prometem levar ao MIL o melhor do cruzamento dos ritmos “berdianos” com as sonoridades “worldwide” tao bem mesclados no ADN musical destes dois interessantes projectos.