“No Fundo do Bau” no mundo dos sonhos dos Black

"No Fundo do Bau"

Vindos da cidade inglesa de Liverpool “straight to Feedback”, os (des)conhecidos Black sao a banda da vez a levar os visitantes do blog sem acentos a uma viajem temporal no segmento “No Fundo do Bau”. Considerados como uma “one hit band” pelo seu classico hit “Wonderful Life”, os Black foram formados no distante ano de 1980 pelo  cantor (e compositor) Colin Vearncombe e alguns musicos pontuais da cidade que viu nascer os Beatles. Com “More than the Sun” sendo seu primeiro registo musical lancado em  1983, os Black iriam chamar a atencao das grandes editoras inglesas pelo seu Pop Rock angelical que confluiu anos depois – mais precisamente em 1987 – com o album (e hit)  “Wonderful Life” que veio a marcar a carreira deste colectivo britanico com muitos discos vendidos pelo Reino Unido e restante Europa. Apesar de um futuro risonho, as diversas mudancas de elementos da formacao e o fracasso de “Comedy” (1988) vieram a ditar o inicio do fim desta banda inglesa que continua ate hoje a ser recordada por ter feito sonhar a geracao de 80 com a intemporal “Wonderful Life”. 

Feedback nos anos 80 com os Black

Advertisements

“No Fundo do Bau” nos anos 90 com os Smashing Pumpkins

"No Fundo do Bau"

Depois dum merecido retiro da redaccao pirata com direito a Carnaval de Verao na Morada e “babysitter” pelos lados da Cidade do Mangui, o revigorado blog Feedback e seu redactor 24/7 retornam as lides virtuais para contentamento da pequena – mas exigente – audiencia com os norte-americanos Smashing Pumpkins. Numa viajem pelo tempo no segmento “No Fundo do Bau”, Feedback mergulha nos anos 90 para ir de encontro com uma das principais bandas de Rock alternativo que ao lado dos Nirvana, Pearl Jam, Soundgarden e Alice in Chains comandou o Rock contramao dos finais do seculo 20. Formados em finais dos anos 80 e tendo nas suas raizes influencias de Rock progressivo, Heavy Metal, Dream Pop e muita psicadelia a mistura, a banda do famoso Billy Corgan viria a marcar a decada de 90 e anos 2000 com uma variadade de grandes (e bonitos) trabalhos como “Gish” (1991), o intemporal “Siamese Dream” (1993), “Mellon Collie and the Infinitive Sadness” (199?) numa carreira marcada por muitos exitos globais e tambem, a bem da verdade, por muitos conflitos internos que marcaram a historia desta que foi, e continua a ser, uma das bandas mais vanguardistas do Rock contemporaneo.

O Rock 90’s dos Smashing Pumpkins no Feedback

N.W.A: a banda mais turbulenta do RAP numa viajem pelo tempo no segmento “No Fundo do Bau”

"No Fundo do Bau"

Percursores do famigerado Gangsta RAP, os N.W.A sao a banda da vez a marcar presenca no nostalgico segmento “No Fundo do Bau” do Feedback. Em mais uma incursao por um distante passado, o blog recordai viaja para as “streets” norte-americanas dos anos 80 para ir de encontro com esta que e para muitos a mais iconica banda da historia do RAP. Com letras carregadas de lirismo recomendado a maiores de 18 anos, a banda do falecido Eazy E, ICE Cube, Dr. Dre, MC Ren e Yella viria a marcar epoca durante a sua problematica existencia dividida entre alguns dos maiores classicos deste estilo e muitas historias de conflitos internos que acabariam por culminar no seu termino na metade da decada de 90. Aclamados pelas ruas com trabalhos de peso como “Straight Outta Compton” (1988) e “Niggaz 4 Life” (1990) e por hinos como “Fuck tha Police”, este colectivo viria a findar apos a saida de Dr. Dre e Ice Cube. Envolto em muitas polemicas, dezenas de processos judiciais, umas tantas ameacas de morte, alguns sequestros pelo meio e muito “Sex, drugs and RAP” que se traduziriam em 2016 no aclamado filme “Straight Outta Compton”, a banda mais conturbada (e talentosa) do RAP chega assim ao Feedback numa viajem especial pelo tempo no sempre nostálgico “No Fundo do Bau”.

“No Fundo do Bau” com o RAP sem papas na lingua dos N.W.A

“No Fundo do Bau” do Hip Hop criolo com os Bairro Norte e Ice Company

"No Fundo do Bau"

Aproveitando o “flow” das rimas de Thairo Kosta e Victor Duarte pelo blog pirata, Feedback continua pelo mundo do Hip Hop com uma viagem a um passado bem distante com dois dos responsaveis pelo surgimento do movimento Hip Hop cabo-verdiano: falamos dos Bairro Norte e Ice Company. Colectivos formados em Sao Vicente no inicio dos anos 90 que lideraram ao lado dos Black Side o “boom” deste estilo no arquipelago, estes pioneiros do Hip Hop criolo chegam “sem bazofaria nem intxadura” ao Feedback em mais uma jornada pelo tempo no segmento “No Fundo do Bau”. Tendo comandado a invasao do Hip Hop nacional numa epoca onde “um vez Soncente era sabe” com as matines no Pimms e Je t’Aime; os bons tempos da Praca Nova; os fins-de-semana no trampolin da Baia das Gatas e Calhau e outras tantas (e nostalgicas) recordacoes de uma decada de ouro em Mindelo, Bairro Norte e Ice Company chegam do passado para o futuro nesta incursao pelos confins do Hip Hop “Made in CV” que veio a gerar em momentos posteriores outros grandes colectivos do Hip Hop mindelense (e nacional) como Hip Hop Art e KGB Squad e nos ultimos anos conhecidos MC’s como Expavi, Batchart e o proprio Victor Duarte.

O Hip Hop ventoso dos Bairro Norte recordado no Feedback

20 e poucos anos depois e “Desemprego” dos Ice Company continua a ser uma realidade no Porto Grande

“No Fundo do Bau” na decada de 80 com os Dire Straits

"No Fundo do Bau"

Segmento recentemente inaugurado no Feedback com o intuito de fazer recordar alguns dos maiores nomes da musica contemporanea (inter)nacional, “No Fundo do Bau” viaja desta vez para a metade da decada de 80 para trazer os Dire Straits e o classico “Brothers in Arms”. Tidos por muitos como uma das primeiras bandas globais a surgir no Seculo XX, este colectivo comandado pela charmosa voz (e guitarra) do eterno Mark Knopfler viria a lancar ao longo da sua carreira diversos sucessos radiofonicos como “Sultans of Swing”, “Skateaway”, “Money for Nothing” ou “So far Away”, estes dois ultimos “hits” do galardoado (e classico) Brothers in Arms” de 1985. Num percurso iniciado em finais dos anos 70 marcado por grandes sucessos e prolongadas paragens de percurso envolvendo diversos projectos paralelos da mente (e guitarra) criativa de Knopfler, os Dire Straits regressam assim do passado para o presente – e quica para futuro – com a incontornavel “Brother in Arms” para jubilo dos amantes do melhor do Pop Rock dos “eighties”.

no-fundo-do-bau

O charme dos Dire Straits relembrado “No Fundo do Bau”

 

Djon de Cornelia inaugura “No Fundo do Bau”, o mais novo segmento do Feedback

"No Fundo do Bau"

Conhecido pelas suas muitas incursoes musicais pelo passado, Feedback, o blog recordai, tem o prazer de informar aos seus visitantes do lancamento de um novo segmento inteiramente dedicado a musica de outrora. Intitulado “No Fundo do Bau”, este novo segmento do blog sem acentos pretende trazer do passado para o presente (e futuro) alguns artistas “di terra” e do Mundo que marcaram epoca. Relembrando saudosos tempos, outras tendencias, a decada de 90; “Nevermind”; os anos 80; “um vez Soncente era sabe”; Jorge Neto ou os bons tempos do Zero Horas, o nostalgico “No Fundo do Bau” tem como objectivo recordar antigos classicos dentro e fora de portas. E para relembrar tempos distantes, Feedback traz do esquecimento para os dias de hoje a classica “Maria cze q’bo tem” de Djon de Cornelia, neste que foi um dos maiores “hits” da musica popular de Sintanton nos idos 90. 

no-fundo-do-bau

Feedback “No Fundo do Bau” com Djon de Cornelia